MAIS ARTIGOS

Fungos: A rede social

 

Por Caio Rachid*

 

 

 

 

Na cultura popular, as plantas são consideradas organismos simples, especialmente quando comparadas com animais. Contudo, sob ponto de vista biológico, plantas são organismos muito complexos, que se organizam em comunidades diversas, interagindo continuamente entre si.

 Destaca-se no meio dessa interação, algo intenso e ainda bastante desconhecido. Estamos falando da comunicação vegetal! Isso mesmo, plantas se comunicam! Não apenas com outras plantas, mas também com outros seres!  Ou seja, trocam informações também com animais e micro-organismos, principalmente aqueles que habitam os solos.

 A comunicação é feita por troca de substâncias químicas que são liberadas por um organismo e detectadas por outros. Assim, podemos chamar as substâncias utilizadas para essa finalidade de substâncias infoquímicas!

 Para que a comunicação seja efetiva, a substância infoquímica precisa sair do seu emissor e atingir o destinatário, em quantidade suficiente para ser detectada. Contudo, quando ela é liberada diretamente no solo, dificilmente vai longe. Isso porque ela é rapidamente degradada ou fica aprisionada em componentes físicos do solo.

 Mas se o ambiente apresenta uma barreira natural para a transmissão da informação, como é que as plantas se comunicam?

 Pesquisadores da Alemanha e Estados Unidos propuseram um mecanismo de comunicação facilitada, mediada por fungos.

 É bem conhecido que alguns tipos de fungos formam associações muito íntimas com as plantas. Denominamos essas associações de micorrizas. Nelas, fungos colonizam o interior das raízes, e se espalham pelo solo, funcionando como prolongamentos das raízes. Essa associação auxilia fungos e plantas em diversos processos, principalmente na obtenção de nutrientes.

 Os pesquisadores mostraram evidências indicando que essas associações também funcionam melhorando o transporte de substâncias infoquímicas, transportando as substâncias a lugares mais distantes, de forma mais rápida e mais segura.

 Uma espécie de fungo pode se conectar a diferentes espécies de plantas, e até mesmo à outras espécies de fungos. Assim, no solo se forma uma complexa rede de interconexões, compostas por micorrizas, que ligam uma planta à outra.

 Como analogia, é como se houvesse uma internet subterrânea, na qual cada árvore seria um computador, e os fungos seriam cabos de fibra-ótica, atingindo computadores de diferentes tipos em diferentes lugares.

 Um exemplo de comunicação facilitada por fungos, é dar o alerta para o sistema defensivo em uma comunidade de plantas. Quando uma planta é atacada por uma praga, ela emite sinais que são levados por fungos, para as plantas vizinhas. Esses sinais vão estimular o sistema de defesa das plantas ao redor, formando um escudo de proteção na comunidade. Assim, plantas se preparam para o ataque, antes que a praga chegue.

 Há muito o que avançar no entendimento das relações entre fungos e plantas, principalmente na comunicação entre as espécies. Na era da internet, nem as plantas ficam fora dessa! #SeMinhaPlantaFalasse

 

*Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e coordenador do CurtaMicro.

 

Referência: E. Kathryn Barto, Jeffrey D. Weidenhamer, Don Cipollini, and Matthias C. Rillig

Fungal superhighways: do common mycorrhizal networks enhance below ground communication?. Trends in Plant Science. v.17:11. 2012

.

 

TAGS: Fungos, comunicação vegetal, micorrizas.

 

Link para contato.

Feito por Thais S. Barbosa (ECO - UFRJ) para o CurtaMicro 2017